51 3690 4143

Prefeita determina agilidade para debelar danos causados pelo temporal Última atualização em, 22 de janeiro de 2024

A prefeita de Santa Cruz do Sul, Helena Hermany, convocou na manhã desta sexta-feira, dia 19, uma reunião com representantes da Defesa Civil e secretarias municipais de Obras e Infraestrutura, de Agricultura, de Habitação e Regularização Fundiária e subprefeituras para tratar do atendimento às comunidades fortemente afetadas pelo temporal que atingiu todo o Estado na noite da última terça-feira. 


Devido à falta de energia elétrica, enfrentam situação crítica de desabastecimento de água os distritos de Boa Vista, Monte Alverne, São Martinho e Alto Paredão e as localidades de Linha Brasil, Felipe Nery, Linha Justo Rangel e parte de Cerro Alegre Baixo. Caminhões pipa da prefeitura estão efetuando o atendimento às famílias e a prefeita solicitou também o suporte do Corpo de Bombeiros, que confirmou o envio de um veículo com capacidade para 20 mil litros de água a fim de encher os reservatórios.


“Também estamos verificando a possibilidade de comprar e alugar geradores para restabelecer a energia elétrica nessas comunidades e por consequência o abastecimento de água”, afirmou a prefeita Helena Hermany.


Destelhamento de casas e galpões, queda de árvores e postes e outras avarias ainda estão sendo contabilizadas pela Defesa Civil do município (confira números no final). Segundo Ipê, as equipes estão mobilizadas e empenhadas para atender o interior. “Foram muitos estragos, os subprefeitos ainda estão fazendo os levantamentos para quantificarmos os danos e a relação das famílias afetadas. Tão logo tenhamos esses relatórios em mãos vamos proceder à aquisição, principalmente de telhas e lonas para fornecer às subprefeituras”, informou o  secretário municipal de Segurança e Mobilidade Urbana, José Osmar Ipê da Silva.


Também a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social fará o envio de roupas para que as subprefeituras providenciem o repasse às famílias que necessitarem.


Helena percorre o interior para ver de perto os estragos


Durante a tarde a prefeita Helena Hermany interrompeu a agenda em seu gabinete para percorrer as localidades do interior mais atingidas pelo temporal de terça e verificar in loco a extensão dos danos. Durante o percurso, acompanhada dos secretários Edmar Hermany e Décio Hochscheidt, e do subprefeito de Monte Alverne, Mauri Frantz, ela fez inúmeras paradas para conferir de perto os estragos nas estradas e também nas propriedades.  


Além de conversar com os moradores e ouvir os relatos da comunidade, a prefeita se prontificou a prestar todo o auxílio possível até que se restabeleça a normalidade. “Sabemos que para muitas famílias a situação é simplesmente desoladora, por isto estamos aqui prestando apoio e mobilizando esforços para atender as demandas o mais rápido possível”.


A casa de Neli Reuter, em Linha Brasil, foi uma das mais destruídas pelo vendaval. “Corri para baixo da mesa pois começaram a cair todas as telhas. Tenho 70 anos e nunca havia passado por uma situação tão tensa como essa. Perdemos toda a área externa da residência, não sobrou nada”. 


Outra imagem impactante era da destruição na Cabana Schneiders, em Linha Júlio de Castilhos. A cobertura se deslocou totalmente da estrutura do local, tradicional ponto de quermesses e reuniões festivas da comunidade. O proprietário, Elio Schneiders, estava desolado. “Foi um estrondo enorme. Não tem mais como ajeitar isso aqui”.


Balanço da Defesa Civil


Subprefeitura de Boa Vista


- Aproximadamente 50 casas destelhadas;

- Quatro igrejas destelhadas parcialmente;

- Três pavilhões comunitários parcialmente destelhados;

- Aproximadamente 70 famílias atingidas;

- 300 metros de lonas distribuídas;

- Mais de 100 árvores caídas, bloqueando estradas e que atingiram casas, redes de energia elétrica, galpões, estufas de secagem de fumo;

- Vinte postes de energia elétrica danificados;


Subprefeitura de Monte Alverne


- Aproximadamente 90 casas destelhadas;

- 47 pedidos de lonas;

- 751 metros de lonas distribuídas;


Suprefeitura de Rio Pardinho


- Aproximadamente vinte casas destelhadas;

- 600 metros de lonas distribuídas.